Jump to content

jccantante

Members
  • Content count

    18
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutral

About jccantante

  • Rank
    New Member
  • Birthday 03/29/1949

Contact Methods

  • ICQ
    0

Profile Information

  • Gender
    Male
  • Location
    Coimbra-Portugal
  1. Escrita musical

    Caros Obrigado a todos. Exactamente o que pretendo. Vou ter que olhar atentamente para cada hipótese, previlegiando a simplicidade. Espero não ser atacado por virus. Um abração
  2. Escrita musical

    Caríssimos Será que é possível tirar da net um programa de escrita musical?
  3. Reforço estrutural

    Jorge G Estes amigos brazileiros estão a permitir que aconteçam "coisas"... Não imagina a satisfação que me deu ler o seu post. Há tempos que procuro contacto com alguém que tenha vivido a mesma experiência de aprendizagem na escola do prof. Duarte Costa. Nos meus quase sessenta anos isto sabe a "regresso às origens". Fico agora, finalmente, a conhecer a viola que tenho. Recomecei a tocar "clássica" há um ano e um mês. Estava completamente emperrado e inculto, do ponto de vista musical. E recomecei exactamente pelas músicas que me lembrava. Através delas (re)aprendi a leitura de partituras. Curiosamente, a parte que menos me interessava e sabia, por difícil e enfadonha, tornou-se interessantíssima, e actualmente tiro qualquer música por partitura. Fui no Verão passado à João XXI com o intuito de adquirir o terceiro volume (só tenho os dois primeiros) e já não existia para venda ou cópia. Foi decepcionante. Apenas trouxe a "Dança do Rei". A única amostra do Duarte Costa foi, recentemente, no Youtube onde vi um vídeo de Kelvin Borrero (brazileiro) tocando a Chula do professor... Deu para matar saudades. Trenho estado arredado do mundo da "guitarra clássica", mas gostaria imenso de participar em alguma tertúlia que de modo mais próximo (Portugal, portugueses) enquadrasse este meu investimento de "maior" idade. (terceira idade não é minimamente adequado...). Vá dando notícias. Um abraço jccantante
  4. Reforço estrutural

    Colocarei um video. O som (e a execução) não será muito bom mas vai na mesma. Obrigado pelo interesse. jccantante http://www.mediafire.com/download.php?tzyvnndiqn1
  5. cinema e música

    Pessoal Chegou até mim, aqui em Portugal, um email com inegável interesse. Não sei se já "rodou" por aí entre vós. Aqui vai: http://www.65anosdecinema.pro.br/index.htm
  6. Reforço estrutural

    Marcos Agradeço a dica. A parte rachada foi no tampo e no fundo. Nada nos bordos. A viola já veio com uma camada de verniz que me parece um pouco espessa. E os agudos, realmente, me parecem mais froxos. Tentarei fotografar a viola a semana que vem... Obrigado JCCantante
  7. Reforço estrutural

    Acrescentando ao post... Estive agora a ver as diversas madeiras madeiras que vêm identificadas neste forum e cheguei à conclusão que a minha viola poderá ser de cipreste espanhol - própria para flamengo.
  8. Reforço estrutural

    Caros A minha viola (em Portugal é viola ou guitarra clássica) foi vandalizada há meia dúzia de anos. É uma viola de tampo clarinho. O bordo também é de tom suave. Chama-se Bornes mas creio que não é nome da madeira. Será Cedro? Por uma questão de sentimentalismo fui a uma boa loja aqui em Coimbra para ver se tinha conserto. Na altura, deixei, para observação e orçamentação e depois chamaram-me e explicaram-me o deveria ser feito. Acabei por aceitar o restauro, que foi caro... mas gostaria de confirmar algumas questões. Será que alguém me pode esclarecer? _As violas mais antigas (esta terá uns 45 anos) têm menos som que as actuais... é verdade? _A viola teria de ser reforçada interiormente com mais uma travessa, já que estava rachada e o braço empenado... perde som com este reforço interior? _Pedi para substituir os tubos metálicos das cravelhas, que enrolam as cordas por outros mais largos e de outro material (plástico?)... respondeu-me que a minha viola era de cordas metálicas, que as outras com esses tubos mais largos são para cordas de nylon e que não se podem substituir os tubos... é verdade? _Para ter mais som deveria passar a utilizar cordas de tensão mais elevada... isso agora sei que é verdade... mas creio que os graves ficaram sonoros de mais. Como equilibrar o som de todas as cordas? _Pedi para envernizar (estava numa lástima!)... o verniz rouba som?
  9. Que funções a música ocupa na sua vida?

    Realmente entendi este inquérito mais no pressuposto da música que oiço. Ouvir é mais como presenciar o "sagrado" em atitude de recolhimento, íntimo... mas tocar apela à acção..., exige domínio e arte. Excelente a dica de Edvalsen. Tocar também me exercita a inteligência e a memória. Aqui a dica é de Westphalen. Há coisa de dois três anos li que a música de Mozart desenvolve a inteligência e que há bons alunos que ouvem incessantemente a sua música (de Mozart) para melhorar o rendimento inetelectual. Eu também sinto mais acutilância intelectual e mais memória, mas desde que toco... Quando inicio o estudo de uma música nova ou quando vou corrigindo uma, já mais dominada, faço apelo à disciplina, ao método, actuando sem pressas. Algo que não estou habituado a fazer..., nem mesmo no trabalho! Espero fazer uma finta ao Alzeimer... Este Forum está a dar-me respostas...
  10. Nunca é tarde para começar

    Oi Há alguém que possa fazer desaparecer essa duplicação de escrita aí em cima? Às vezes carrego em coisas misteriosas e sai o que não quero... Agradeço
  11. Nunca é tarde para começar

    Olá turma dos "enta". Eu vou fazer sessenta... e a minha vida deu uma volta no inverno passado. Decidi voltar a pegar na minha viola e tocar clássica. Foram 40 anos com a viola a dormir... Até deixei de roer as unhas... Realmente podem acreditar no impossível. Entretanto tive de parar dois meses porque tive de operar a mão para desimpedir o canal cárpico que me travava a mão e o braço... E agora está bom. Re-comecei pelas músicas que me lembrava e através desse conhecimento anterior aventurei-me na leitura de partituras. Meus amigos... eu, que não percebia práticamente nada de música, agora tiro qualquer uma. É uma luta, mas acho que está a dar certo. Tenho limites de elasticidade nas mãos e falta de memória e atenção. mas não há dúvida que utilizo outras partes dos miolos que ainda funcionam muiiito bem. E sou muito mais metódico e confiante. Foi bom ver po professor co setenta anos. É um estímulo. Um abraço a todos.
  12. Responda sem pensar

    Pois eu ainda prefiro as "Astúrias" de Albeniz. É coisa telúrica...
  13. Programas de Rádio

    Meus Caros Estou completamente abismado. O meu contacto com brasileiros em fóruns de Guitarra Clássica fizeram-me entrar num continente maravilhoso, absolutamente idêntico ao que Cabral descobriu… Vocês não param de surpreender este pobre europeu. Eu já sabia que os brasileiros têm o dom da música, além de muito competentes. Mas agora, depois de enxergar os programas de rádio…, dou por mim a ler estas revistas bem deliciosas. É muita coisa boa para um português… Por favor, não parem. Um abração. jjcantante
  14. O que você está lendo no momento?

    Ainda respondendo mais directamente ao tópico, não estou, de momento, a ler literatura mas terminei há pouco um livro que gostei imenso é O "IMPÉRIO" do Gore Vidal. Sobre o advento do imperialismo norte americano em paralelo com o surgimento do império jornalístico de Randolph Hearst que , segundo soube posteriormente, serviu de modelo para o filme Citizen Kane.
  15. O que você está lendo no momento?

    Ivan Leio pouco Literatura. Entro mais na História. Li o 1808. E fiquei pasmo… Gostei imenso e já o passei aos familiares. A crítica, aqui em Portugal, tem sido bastante favorável. Pela minha parte gostei da objectividade e o carinho com que, apesar de tudo, são analisadas os recém-chegados extraterrestres portugueses… e o pasmo, decorre de perceber que os portugueses permanecem exactamente os mesmos… com uma grande dose de preconceitos e de ostentação. E é exactamente o nosso maior defeito. Há ainda o raio da inveja… mas isso acho que ninguém sabe. Os brasileiros herdaram disto? Penso que serão bem mais espontâneos… Fiquei a saber do livro, que se resolveu o problema dinástico português e que o Brasil ficou unificado e politicamente estruturado e preparado para ser um estado autónomo e moderno. Tenho lido imenso sobre o Brasil… "O que é que o Brasil tem?..." Foi na sequência das comemorações dos 500 anos… Adorei o modo como se processou o avanço para oeste, bem para lá da linha do Tratado de Tordesilhas… e de como os Espanhóis se deixaram enganar pelo mapa do vosso Alexandre de Gusmão que apresentou em Espanha um mapa com o Brasil todo puxado para o Atlântico de modo a eles pensarem que estava quase todo do lado certo do tratado… E a estratégia do irmão do Marquês de Pombal a dar nomes de terras portuguesas aos povoados do Maranhão para dar a entender aos europeus que aí era tudo português, com os índios e índias já chamados de Josés e Marias…, a aprender nas escolas e a participar nas assembleias municipais. E de como resultou um Brasil imenso…
×