Jump to content

magnoamorim

BGM - Colaborador
  • Content count

    41
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutral

About magnoamorim

  • Rank
    New Member

Contact Methods

  • ICQ
    0
  1. Craques da harmonia

    O violão brasileiro está cheio de grandes acompanhantes. Harmonizar é para nós brasileiros tão natural quanto fazer escalas para os "flamencos". E, é claro, tem uns "nêgo" que passam da conta..... Um desses caras, e que é pouco conhecido chama-se João Alexandre. Uma das poucas coisas que valem a pena ouvir no meio evangèlico. Um verdadeiro craque. Tenho certeza que todos vocês conhecem outras feras, Abraços MAgno
  2. Montar repertório...

    Fiquei parado quese 7 anos e voltei a cerca de dois. Tudo o que estudei até hoje foi suficiente para recuperar parte da técnica que tinha nos tempos de faculdade. Algumas coisas eu acho que melhoraram, sonoridade, fraseado e pricipalmente a experiencia, para escolher repertorio dentro das minhas possibilidades. Com isso resolvi voltar a dar recitais (pequenos, sem maiores pretensões) e trabalhar a gravação de um disco. Como possivelmente eu terei de bancar, terei que trabalhar com repretorio de domínio público. O que significa, nada de Barrios, Villa, Torroba e nem de repertório latino americano. Então estou trabalhando apenas repertório dentro da proposta do cd. A principio então o repertório deverá ter BAch, Weiss, Scarlatti, Milan e Albeniz. Se conseguir algum patrocinio talvez dê para incluir algo Brasileiro (Marco Pereira, Gismonti, Diermando) e latino americano (Lauro, MOntaña, Ponce). Isso seria o ideal, pois seria um repertório variado que poderia inclusive ser tocado em ordem cronológica, que é uma idéia da qual sempre gostei. Abraços MAgno
  3. Sérgio Abreu em reality show?

    DAqui a pouco o eduardo abreu aparece no BUsão do Brasil...
  4. O que você está lendo no momento?

    estou lendo pela milésima vez o Analista de Bagé do Luiz fernando veríssimo...estou precisando rir um pouco.
  5. Sérgio Abreu em reality show?

    O perigo é ele sair serrando tudo quanto é árvore, mesa, armário para fazer violão... vai ser eliminado rapidinho!
  6. Espero que o próximo caia em uma data em que eu não tenha que fotografar nenhum evento. SEria bacana conhecer as pessoas com quem converso no mundo virtual e ver se elas são de verdade mesmo.... E claro, conhecer alguns violões que não conheço. SE possível, gostaria de levar um violão double top do Francis (e quem sabe o próprio Francis). Para quem está construindo double tops, conhecer instrumentos de referência é sempre enriquecedor. O LA magnífica, claro, vai comigo com certeza. Abraços Magno
  7. Atraso na entrega de violões

    Se eu fosse um Luthier (e já sugeri isso a um luthier amigo meu) trabalharia sempre com duas vagas livres por ano. Por exemplo, se faço 12 violões por ano, aceitaria apenas 10 pedidos. As outras 2 vagas seriam minhas. Isso me permitiria, sem atrasar os prazos acordados. 1 - Ter um violão para pronta entrega eventualmente (que poderia ser vendido mais caro, por já estar pronto). 2 - atender a um pedido urgente de um músico de renome com maior velocidade. 3 - Oferecer a vaga a um preço maior (Se não me engano, o Gernot Wagner faz isso). Nada disso seria anti-ético. "o Prazo de entrega e de dois anos e o violão custa 5 mil, mas tenho uma vaga disponivel para daqui a 4 meses com adicional de mil reais". a pessoa pagaria por um lugar mais rápoido na fila. Na ausencia desses fatores, me permitiria adiantar algumas encomendas, gerando satisfação nos meus clientes. Pode ter certeza que os luthiers mais famosos fazem coisas parecidas. Ou voc~es acham que o Willians espera 10 anos na fila quando precisa de um Smallman? O importante é ter regras claras e cumprimento das promessas e prazos. A questão de contratos sempre me incomodou. Algo tão caro não pode ser tratado na informalidade. Quando encomendei o Paulo marcos "La Magnifica" assinei um contrato detalhado, efetuei depósito inicial e o vciolão foi entregue quase 2 meses antes do combinado. Prfissionalismo é isso.
  8. Duas sugestões: Francis Double Top e Paulo Marcos const. especial Cedro. Ambos tem primas muito doces, como a do video. Os baixos porém são mais brilhantes. Vale a pena conferir. O Francis normalmente tem um ou outro violão já pronto e é bem flexível quanto ao pagamento. O Paulo não vai ter violão pronto, mas como a fila de espera é bem grandinha (quase dois anos) dá tempo de juntar a grana. Abraços Magno
  9. Robert Ruck composite

    Valeu...boa ideia, estou precisando de um, voce tem alguma marca/modelo para indicar? abraços
  10. Robert Ruck composite

    Alguém sabe me dizer o que é esse "pregador" que tem na mão do instrumento?
  11. Tive o privilégio de receber meu violão construído pelo grande Luthier Paulo Marcos. Ainda não consegui escrever a resenha, mas como essas fotos acho que posso pular o item "aparência". Basta olhar as fotos para ver que o violão é belíssimo.
  12. O que você está lendo no momento?

    "The Beatles, a biografia" de Bob Spitz
  13. Estreia do concerto de Francis Hime

    Fábio Mas, não seria possível mesmo com gravação independente e lei de incentivo? Claro que não daria com a Osesp, mas com orquestras reduzidas? abraços
  14. Violão Francis Double Top

    Doa a quem doer, os doubles tops vieram para ficar, disso eu não tenho dúvida. Visto que no mercado europeu esses violões tem tido uma aceitação excepcional (efeito Russell-Barrueco) parece que o mercado brasileiro começa a se interessar por esse tipo de instrumento. Depois dos bons resultados conseguidos pelo Samuel/Emanuel Carvalho mais um Luthier se dedica a esse tipo de construção (acho que esse violão ficou pronto antes do Arone DT). Francis é um Luthier da cidade de Ipatinga (MG) cujo trabalho eu conheço a bastante tempo. É um luthier extremanente talentoso cujos instrumentos são muito bem construídos e impecavelmente acabados. Até cerca de 2000 seus violões tinham predominantemente construção tradicional (O Cristiano que está em Porto Alegre tem um violão dessa fase que é excelente) mas ele já fazia diversas experimentações até que em 2001 ele começou a usar treliça. Com isso seus instrumentos ganharam volume e corpo, sobretudo nos graves, porém sem anasalar o som. É um instrumento de construção moderna que não perdeu as características de um violão tradicional. Tenho um instrumento de 2001 e é um belo instrumento. Seus últimos instrumentos passaram a adotar a escala elevada. Toquei em um de 2008 e o violão estava ainda melhor que o meu, com primas mais redondas e graves mais equilibrados. O Ricardo Horta (ex-professor da UFMG e que reside na Áustria adquiriu um instrumento com essa técnica de construção e tem elogiado bastante). Nesse mês pude tocar em um Double Top que levei para o Lucena conhecer. É um violão - Cedro/nomex/Cedro- com fundo e laterais de Jacarandá. O violão conseguiu realçar as características que seus violões já tinham: Graves Robustos, som encorpado, excelente volume e sustain. As primas tem muito corpo e o violão me pareceu muito equilibrado. Quem se preocupa em ter um violão tipo “canhão” com um volume muito acima da média não vai encontrar nesse instrumento. O volume está dentro da ordem de grandeza de um bom violão tradicional. Mas é no timbre que o violão tem seu trunfo. O timbre é muito bonito e soa como um cedro tradicional, sem anasalar o som e permitindo boa variação dinâmica e de colorido. Outra vantagem é ser um instrumento muito fácil de tocar. Tudo sai fácil, sem esforço. O violão claro que entrou para minha lista de sonhos de consumo e finalizo com o comentário do professor José Lucena: “Um violão imponente, para se ouvir de cabeça erguida” Abraços Magno
  15. VENDO VIOLÃO

    Léo Muito obrigado pelas palavras e pela bondade!!! Fiquei até emocionado!!!! Veja só, é um violão de construção moderna mas que permite timbres belíssimos e muita variação de colorido. Que adquiri-lo estará muito bem servido! Zanetti Infelizmente, no atual momento ter dois violões é um luxo ao qual não posso me dar. Além do nascimento do Lucas e reforma da casa é um ano em que tive de investir muito em meu trabalho (só em cãmeras devo ter gasto uns 3 Abreus...). Nos próximos anos devo ter retorno do investimento e aí será possível adquirir um outro violão, quem sabe um Francis Double Top!!!! Te passo o valor por MP. Abraços Magno
×