Jump to content

Dr.Pacheco

Members
  • Content count

    209
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutral

About Dr.Pacheco

  • Rank
    Member

Contact Methods

  • ICQ
    0

Recent Profile Visitors

7,927 profile views
  1. Vossos Instrumentos

    [ARROBA]Dilson Concordo. A Rozini é disparada a mais interessante. Tanto pelo preço, quanto pela variedade enorme de instrumentos que eles fazem. Vamos a minha lista, modesta, de instrumentos. Tenho três violões e um baixo elétrico: - Di Giorgio Author 3; - Seizi Tennessee Blues (Folk); - Irmãos Carvalho TS4 (Cedro, o de Pinho, equivalente, é o modelo TS3); - Baixo SX SJB75 (vintage series); A umas semanas atrás me sobrou uma grana e resolvi arriscar (pelo preço, se não gostasse, seria fácil revender) e ver qual era desses, tão falados, instrumentos dos irmãos carvalho. Até então, só tinha tocado em instrumentos dos outros e nunca tinha ficado vários dias com um para ter uma noção melhor. Mas, quando aprender a tocar um pouco melhor, pretendo adquirir dois violões, um de cedro e um de pinho de algum luthier, preferencialmente, nacional. Já pensei em comprar cavaco, viola etc. Porém, sempre pensava que não daria tempo de dedicar a vários instrumentos. Como consequência, ficaria com vários instrumentos parados e acumulados aqui. O meu violão de aço e o baixo já tem o uso bem menor, quem diria se adquirisse mais instrumentos. Até porque, tocar mal um instrumento já é fácil, imagina vários.
  2. Vossos Instrumentos

    Caramba, quanto violão antigo. Tem foto de algum? [ARROBA]Dilson [ARROBA]Eugenio O Tarrega eu nunca vi um modelo recente "melhorzinho". Já o Author 3, raras vezes, aparece algum menos pior. Porém, o preço desses instrumentos anda com um péssimo custo x benefício. Um Tarrega ou um Author 3 custam, atualmente, mais de mil reais. Por vezes, chegam a mil e quinhentos ou mais. Acho que a única marca que anda valendo a pena é a Rozini, que até violão de 8 cordas tá fazendo.
  3. Eterno Problema da corda sol

    [ARROBA]Eugenio As cordas do Guinga são uma serie assinada por ele da Giannini, já tem alguns anos que elas estão no mercado. Nunca testei, mas o preço é o mesmo das outras series, como a "clássico", a "MPB" etc. [ARROBA]Dilson Nunca ouvi que essas cordas possam fazer mal ao violão. Por outro lado, são matérias novos e pouco testados. Mas, ao que tudo indica, não fazem mal aos instrumentos.
  4. Eterno Problema da corda sol

    Posso estar enganado, mas minhas impressões sempre me levaram para o seguinte caminho: cordas que tem muito brilho, como característica principal, tem tendência a durar mais. Usei D'addario por um tempo, as cordas duravam uma eternidade. Mas o som me incomodava e, o brilho excessivo, ainda mais. Agora, todas as vezes que usei Augustine, achei que a duração dos baixos não era das melhores. Como ando sem grana pra importar codas, tenho usado apenas Giannini que eu me lembre, a duração delas nunca foi das melhores. Se me lembro bem, tocando umas 2 horas por dia, eles, os bordões, iam embora em menos de três semanas. Já as primas, como na grande maioria das marcas, duram bem mais. Alias, até as primas da Giannini, que tem som ruim, tem boa durabilidade. Eu diria que, se valesse a pena comprar baixos separados, eu trocaria os baixos três vezes para cada prima. Em relação a baixos separados, seria legal se as empresas nacionais vendessem eles separados. Já tentei entrar em contato com algumas perguntando sobre essa possibilidade. Não obtive resposta de nenhuma. Até porque, daqui a pouco vou estar usando Rouxinoul (até dão uma palhete com premio de consolação ) ou Canário, porque tem loja que tá com a cara de pau de cobrar 30-40 reais em um jogo de tensão alta da Giannini Clássica. Depois de tanta enrolação, vou responder sua pergunta sobre outras marcas. O que aprendi, ao longo do tempo é: cordas só testando! Como você sabe, o som varia de acordo com o instrumento e com a mão de quem toca. Logo, a única solução é testar! Essas John Pearse você viu na SBM?
  5. Eterno Problema da corda sol

    Como assim? Ela era revestida tipo a sobressalente que vem nas cordas da D'addario? Mas, no caso da D'addario é a Ré, né?
  6. Seguidores Sérgio Abreu

    Você diz, menos em "D" e mais reto na parte do meio, certo? Também prefiro assim. É bem mais confortável nas posições mais avançadas. Mas, a grande maioria dos violões que vejo por ai tem braço em "D" ou com a curvatura, muito ligeiramente, atenuada. Isso é um padrão, digamos, mundial?
  7. Violão Eagle Emn880c Nt

    Para além do que disse o [ARROBA]adrianoviolonista, esses violões são mais leves que uma folha de papel. Em outras palavras, é puro laminado e, para completar, extremamente mal feitos. Se você desmanchar um violão desses, vai ver que o Jacarandá Indiano é uma micro folha, serve apenas para estética o resto, que esta em baixo, pode ser qualquer coisa. Por isso é barato. Sinceramente, hoje em dia, acho que acima de $700-800, só vale comprar Rozini (e eles tem uma linha muito grande, até violão de 8 cordas eles estão fazendo). Dependendo do caso, é mais fácil recorrer a modelos de estudo que alguns luthiers tem, como o Polegario e os Irmãos Carvalho, eles giram em torno de $1.000,00 até $2.000,00.
  8. Vídeos construção de violões

    Adoro ver vídeos de construção de violões, sejam de aço ou náilon. Acho que todo musico deveria ter a obrigatoriedade de compreender a construção do instrumento que toca. Isso facilita na busca pelo timbre que o musico deseja reproduzir em seu instrumento. Vou compartilhar dois vídeos, um do Andrea Tacchi e outro de um luthier canadense, que faz instrumentos de aço, chamado Michael Greenfield. Caso alguém tenha mais algum vídeo para compartilhar poste ai. O Segundo é um vídeo de mais de 1 hora de duração, mostra várias etapas em detalhes, muito interessante mesmo! Andrea Tacchi Michael Greenfield
  9. Música VS Entretenimento

    Concordo plenamente com o Eugenio. Assim que tiver tempo escrevo mais detalhadamente. Porém, um dos maiores problemas nesse debate é próprio músico. Existe uma reprodução de determinados valores que já são, em parte, defasados. Mesmo assim, eles continuam a se perpetuar.
  10. Violão disponível para pronta entrega

    [ARROBA]Jefferson Garrido no site diz " acabamento Laca de nitrocelulose" é no corpo inteiro ou só nas laterais e fundo? Só por curiosidade, quanto você está cobrando em seus violões? Tem distinção de preço entre cedro e abeto? (se puder me envie por MP).
  11. Rastilho graphtech

    Pois é, perguntei mais a título de curiosidade mesmo. Se fosse mais vantajoso já teria mais gente usando, não?! Quando você fala "não vi nenhuma vantagem sobre o de osso", quer dizer que o som é igual ou pior? Se puder detalhar mais. Certamente não deve ser pior que plástico. Agora, pelo preço, creio, vale mais o osso mesmo.
  12. Fone de Ouvido

    Já era, privacidade hoje em dia é utopia. Ainda mais que todo mundo usa computador com windows e, especialmente, celulares com Android. Já parou para ler os requisitos e os termos que tem, tanto o sistema, quanto os app's? Você se surpreenderá! Tem um trecho da matéria, em que se fala em coleta de dados de uma marca de brinquedos eróticos! Pelo que entendi, ele pode ser controlado pelo celular, daí a possibilidade de se criar um perfil do usuário(a). Aquele "maluquinho" do John McAfee falou certa vez, "informação é o novo dinheiro". As empresas tem feito de tudo para vender informação, olhem as polêmicas que o windows 10 vem se envolvendo. Obs: para quem não se lembra quem é o John McAfee, é o ricaço dono da empresa, uma das pioneiras, de antivírus que leva seu sobrenome, McAfee. Já se envolveu em várias polêmicas e, certa vez, chegou a cogitar, na última eleição, a candidatura a presidência dos Estados Unidos.
  13. Fone de Ouvido

    Por falar em Bose, olhe o que a empresa está aprontando! Link: http://fortune.com/2017/04/19/bose-headphones-privacy/ Agora, até fone de ouvido tá coletando e enviando dados do utilizador! Tá danado!
  14. Captador Jackcap 4 Pro para violão

    Os dois me pareceram interessantes. Acho que essa questão de capitação tem evoluído bastante. Mas a gente sabe, nunca vai ser perfeito! Esse produtos de áudio com "i" não são os dispositivos para Mac e Iphone? Se for, esses costumam custar uma boa grana, seja aqui no Brasil, seja importando.
  15. Rastilho graphtech

    Ontem, tava vendo uns vídeos do youtube, quando me deparei com um sobre a instalação de um captador da LRBaggs. Ao restaurar o instrumento o rastilho colocado não é de osso, é de um material sintético chamado Graphtech. Fiquei curioso e fui procurar o site da empresa que produz. Vejam o texto informativo do site do produto: "O Graph Tech TUSQ transmite as frequências certas das cordas para a guitarra, produzindo um timbre rico e encorpado. Músicos e Luthiers concordam: violões, guitarras e baixos ganham vida com TUSQ, o Marfin Sintético da Graph Tech. É o produto mais eficiente na transmissão de vibrações para o o corpo de sua guitarra/contrabaixo ou tampo de seu violão, resultando em graves amplos e agudos cristalinos. Pestanas e rastilhos de osso tem um um problema natural, têm pontos macios ou ocos, devido à granularidade do material. As pestanas, rastilhos e pinos da Graph Tech TUSQ são fabricados sob alta pressão e calor, com precisão de engenharia, com projeto específico para filtrar quais frequências devem ser transferidas corpo de sua guitarra/contrabaixo ou tampo de seu violão (timbre), e quais frequências permanecerão nas cordas (sustain). O Graph Tech TUSQ é uniforme peça por peça, para oferecer timbres ricos em harmônicos, sem os problemas associados aos materiais orgânicos." Link do site: http://www.graphtechbrasil.com.br/index.html Fiquei curioso, pensei em comprar um para comprar com o rastilho de osso do meu violão. Na hora que vi o preço, desisti. $40,00 "conto" no treco, ai não. Não sabia nada sobre esse produto, para mim, rastilho ou era plástico ou era osso. Alguém já testou o material? Existe muita diferença para o osso?
×