CarlosEdu

Members
  • Content count

    968
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by CarlosEdu

  1. Começam com uma linda "Aquarela do Brasil" (Ary Barroso)
  2. Geniais individualmente, certamente magistrais juntos, e em estudio em tão, lembro do primeiro CD que comprei do Yamandu com Armandinho; já pus esse na lista de compras.
  3. Sempre uma inspiração de bom gosto meu amigo. Não pare!!!
  4. Muito bons! Bravo.
  5. Arranjo dele:
  6. Grande instrumentista!!!
  7. Muito bom, Tom Jobim era um gênio em suas composições; gosto de quase todas as letras e arranjos que já ouvi. Bravos!
  8. Que massa Dilson, então são dois feras juntos.
  9. Por uma “Velha Amizade”, os músicos sobem ao palco para celebrar este encontro de dois grandes instrumentistas brasileiros apresentando o álbum lançado em 2015. Alessandro Penezzi é considerado como um dos violonistas mais impressionantes da atualidade com temas gravados por artistas como Yamandú Costa (Dayanna), Beth Carvalho (Acabou a Brincadeira) e Danilo Brito (Abraçando). Já o clarinetista, compositor e maestro Nailor Proveta esteve ao lado de artistas como Milton Nascimento, Gal Costa, Edu Lobo, Raul Seixas, Natalie Cole, Ray Conniff, Sadao Watanabe, dentre tantos outros.NAILOR PROVETAclarinete e saxALESSANDRO PENEZZIviolão 7 cordasProdução:CAPUCHO PRODUÇÕESRepertório:JERINGONÇA (Alessandro Penezzi)CHORO A3VIDO (Nailor Proveta / Alessandro Penezzi)AO MESTRE (Alessandro Penezzi)CHORO PRA REBECA (Nailor Proveta)VIVENDO (Alessandro Penezzi)CHORO DE PROVETA (Alessandro Penezzi)ACERTA O PASSO (Pixinguinha)DISPLICENTE (Pixinguinha)CARNAÍBA NO BIXIGA (Nailor Proveta)TORCENDO A MEIA (Alessandro Penezzi / Nailor Proveta)UM A ZERO (Pixinguinha / Benedito Lacerda)
  10. Para mim é arrebatadora e profunda; E a internalização de Vinicius, faz do poema propriamente dito uma oração declamada rs:
  11. Saudações galera, depois de um tempo sem gravar, segue uma das mais lindas composições de Baden, inspirada no poema de mesmo nome do celebre Vinicius de Moraes, espero que se divirtam:
  12. Valeu Marcão; vc de longe é grande inspiração; e a maior que tenho em Salvador, pela com dos arranjos e da execução. Olá Pacheco, grato por assisti; na verdade conheço a versão do Baden de traz pra frente, tá no celular a meses; mas interpretação é bem pessoal em termos de andamento; e sendo poesia, prefiri viajar milimetricamente nas seções; do que acelerar, se não viraria imitação e não foi o proposito, mas da a identidade do que sinto na musica internamente. Viajo deveras na interpretação cantada de Vinicius e outra da Elizeth Cardoso, com aroma mais romantizado, mais poetico; mas reflexivo. Mas claro, respeito tua opinião. Opa, sim, é o Yamaha CG142s Abs!
  13. Grande Marcos, minha maior inspiração local e amigo... Não me canso de ouvi esse arranjo adaptado (Raphael+Marcos Cesar), grande parceria.
  14. Depois de comprar os dois CDs do Zanon na Guitar Coop, mas um lançamento do ano. Além de reconhecidamente genial, o Marco Pereira está para rememorar um dos grandes pioneiros do violão brasileiro, injustiçado em alguns circulos, mas que inspirou Baden, e para mim foi um dos CDs mais lindo do Raphael: "Relendo Dilermando", agora é a vez do nosso Marco Pereira. (Do vídeo não gostei tanto, talvez devido a urgencia da gravação de amostra)Mas suas gravações em audio são singulares Notas Musicais Guia jornalístico do mercado fonográfico brasileiro com resenhas de discos, críticas de shows e notícias diárias sobre futuros lançamentos de CDs e DVDs. Do pop à MPB. Do rock ao funk. Do axé ao jazz. Passando por samba, choro, sertanejo, soul, rap, blues, baião, música eletrônica e música erudita. Atualizado diariamente. É proibida a reprodução de qualquer texto ou foto deste site em veículo impresso ou digital - inclusive em redes sociais - sem a prévia autorização do editor Mauro Ferreira. SÁBADO, 4 DE JUNHO DE 2016 Marco Pereira toca a obra influente de Dilermando Reis no CD 'Dois destinos' ♪ Em março deste ano de 2016, o violonista paulistano Marco Pereira entrou no estúdio da YB Music, na cidade de São Paulo (SP), para gravar títulos do cancioneiro autoral de um dos mais influentes violonistas e compositores do Brasil, o paulista Dilermando Reis (1916 - 1977), músico ligado ao choro e à valsa. A gravação gerou o álbum Dois destinos - Marco Pereira toca Dilermando Reis, previsto para ser lançado pelo selo Borandá neste mês de junho de 2016. Em atividade da década de 1940 até os anos 1970, Dilermando Reis é o compositor de temas celebrados como o choro Magoado (1941) e a valsa Noite de estrelas (1946). O disco Dois destinos foi batizado por Marco Pereira com o nome da valsa lançada por Dilermando em 1948, em já bem rara gravação de disco de 78 rotações por minuto. Postado por Mauro Ferreira às 10:07 http://www.blognotasmusicais.com.br/2016/06/marco-pereira-toca-obra-influente-de.html
  15. Opa, mas um ano juntos, Feliz Natal e um 2017 cheio de paz, saúde e novas realizações para os colegas do forum.
  16. Obrigado Amorim! Mas a biografia oficial dele discorda de você; ele estudou 5 anos com Jodacil, e só ouviu música??? http://www.guinga.com/index.php/about-biografia "OS MAIS BELOS ACORDES DO SUBÚRBIO – Guinga (neé Carlos Althier de Souza Lemos Escobar), é carioca da zona norte do Rio de Janeiro – o bairro de Madureira –, onde nasceu em 1950. Foi por cinco anos aluno de violão clássico de Jodacil Damasceno. " http://www.terra.com.br/istoegente/117/reportagem/musico_dentista.htm Interessante http://cliquemusic.uol.com.br/materias/ver/genioso-e-genial--guinga-e-retratado-em-livro Gostei bastante http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa6126/guinga
  17. http://brazilianguitar.net/index.php?showtopic=3693&page=3
  18. Engraçado: Guinga só estudou com os pontas, com os mestres do Brasil, e vive dizendo não ter uma educação musical precisa rss. Academia não quer dizer nada. Segovia nunca foi academico, Villa Lobos também não; Yamandu também não então...
  19. Na primeira sequencia concordo plenamente, a exemplo Dilermando (para mim tanto como compositor quanto como interprete; e os caras considerados grandes hoje no Brasil, tem um respeito enorme por ele). Geniais, Baden Powell, Marco Pereira(vi de perto e foge a norma); Raphael Rabello(ainda bem que era brasileiro, um dos maiores músicos que já surgiu em qualquer parte do mundo)... E outros. Sobre Guinga, poxa, realmente sou encantado pela música dele; sua forma de compor e harmonizar sim, está acima da média.
  20. Pra quem não viu, são os dois respondendo tudo por mais de 1h:
  21. Massa Amorim, obrigado por compartilhar a experiencia com o mestre Guinga. Na verdade assisti tb 2x o Hangout com eles dois pelo Fernando Cury; mas nunca o vi de perto.