ShareBird

Ajuda para dimensionar o braço do meu violão

35 posts in this topic

Oi pessoal,

em primeiro lugar, Super Fórum!! Meus parabéns! :thumbsupsmiley:

Estou precisando de ajuda para dimensionar o braço do violão que eu encomendei.

Eu uso uma Gibson Chet Atkins CEC. Eu nunca estive assim muito satisfeito com o som dela, (aquele péin péin do piezo) além do que ela é extremamente pesada, os baixos tem um sustain infinito e acho ela super difícil de tocar.

Como agora estou com problemas de "veia" ("veice") estou precisando urgente trocar o violão. Estou com osteocondrose no pescoço e tenho muitas dores na mão...

Por isso eu preciso tomar bastante cuidado na escolha do braço de modo a tornar a tocabilidade a melhor possível.

Bom, o braço vai ser levemente arredondado (radiused). Eu passei para ele as medidas de um violão clássico:

  • Neck Width at nut: 52 mm / 2.05 in.

  • Scale length: 650 mm / 25.59 in.

    (Aqui eu não sei direito se 650mm ou 640mm)????

  • String spacing - nut: 8,5 mm / 42,5 mm

  • String spacing - bridge: 11,5 mm / 57,5 mm

Ele me sugeriu uma largura de braço de 50mm, alegando que melhora a tocabilidade. Procede?

Por algumas dicas de vocês eu ficaria imensamente agradecido!

As medidas da mão podem servir para avaliar quais seriam as melhores medidas?

Agradeço antecipadamente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

ShareBird, seja bem-vindo.

A medida padrão de escala de violão clássico é de 650mm.

Eu acho a largura de 50mm meio apertada, funciona em violão de aço e guitarra tocados com palheta, mas não em violão clássico de nylon.

Aliás, pra esclarecer, essas medidas se referem a um violão de nylon ou de aço?

Share this post


Link to post
Share on other sites
ShareBird, seja bem-vindo.

A medida padrão de escala de violão clássico é de 650mm.

Eu acho a largura de 50mm meio apertada, funciona em violão de aço e guitarra tocados com palheta, mas não em violão clássico de nylon.

Aliás, pra esclarecer, essas medidas se referem a um violão de nylon ou de aço?

Oi Eugenio,

pôxa que rápido!! Obrigado pela atenção!

É um violão de cordas de nylon. Eu achava que violões de aço normalmente tem a largura menor que os 50mm...

É bom saber, porque eu detesto tocar em violão de corda de aço, sempre "empareia" (meus dedos são meio "cabeçudos" :-))...

Agora, 640mm não ajuda na hora de fazer aquelas "aranhas"?

Um abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

sharebird,

a escala 640 mm deixará comforme regulagem do instrumento com as cordas menos tensionadas do que com 650 mm e mesma regulagem... experimente antes trocar o jogo de cordas por tensão média ou mesmo leve...se bem que considero esse chet atkins uma guitarra elétrica em forma de violão... :guitar:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sharebird, eu já tive um violão de 640mm e não senti mais facilidade. O formato do braço interferiu muito mais no meu conforto do que o comprimento da escala.

Novamente, 50mm eu acho muito estreito e não acredito que facilitaria a tocabilidade de jeito nenhum. No caso de violão de aço, existem modelos feitos para fingerstyle que tem um pouco mais de largura, porque tocar de dedo e de palheta muda muito o tipo de uso que o músico vai fazer do braço nas casas mais próximas da pestana.

Mas esse é o tipo de coisa que você só pode saber testando. O padrão costuma ser confortável para muitas pessoas e detalhes como altura e tensão das cordas também podem fazer muita diferença.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi Jorge,

bom, eu já uso cordas D'Addario middle. Mas eu suponho que também a distância entre os trastes diminui, não é? Será que isso não facilita na hora de fazer acordes mais "abertos"?

Bom todas essas considerações vieram a partir da leitura do site do Belucci.

Pelo que eu andei lendo, as medidas para o violão clássico podem variar bastante também:

http://en.wikipedia.org/wiki/Classical_gui...characteristics

Pra adicionar mais algumas informações, eu não sou violonista clássico, o meu trabalho é violão e voz, Bossa Nova e MPB.

Eu estou precisando de um instrumento "pau pra toda obra" que funcione bem em qualquer situação, sozinho, em duo ou com banda. E, o mais importante, que seja leve e fácil de tocar, por causa das dores nas costas, pescoço e nas mãos...

Quanto a captação, eu estou usando na Gibson um sistema duplo: um microfone Schertler Dyn-G (achei um lugarzinho meio "oco" na guitarra) e o captador "nativo" da Gibson. Os dois estão ligados num jack estéreo e entram num Rane AP-13.

O resultado não é assim uma maravilha, pois não dá pra explorar tudo o que o microfone pode dar, pelo fato da Gibson ser praticamente maciça, mas o efeito "true stereo" é muito legal!

Estou querendo usar o mesmo sistema no novo violão.

Então, achei o Kirk Sand para fazer o violão. O Chet Atkins na realidade usava um violão dele mas com a marca da Gibson. Depois disso a Gibson passou a fabricar o modelo do Kirk sob o nome CEC Studio.

Estou achando muito legal trabalhar com ele, ele simplesmente pergunta tudo, toma todas as decisões consultando o cliente e vai mandando fotos de todo o processo.

Daqui há umas duas semanas ele começa a fazer o braço, por isso tenho que decidir todas as medidas...

Um abraço

Sharebird, eu já tive um violão de 640mm e não senti mais facilidade. O formato do braço interferiu muito mais no meu conforto do que o comprimento da escala.

Novamente, 50mm eu acho muito estreito e não acredito que facilitaria a tocabilidade de jeito nenhum. No caso de violão de aço, existem modelos feitos para fingerstyle que tem um pouco mais de largura, porque tocar de dedo e de palheta muda muito o tipo de uso que o músico vai fazer do braço nas casas mais próximas da pestana.

Mas esse é o tipo de coisa que você só pode saber testando. O padrão costuma ser confortável para muitas pessoas e detalhes como altura e tensão das cordas também podem fazer muita diferença.

Oi Eugenio,

Infelizmente eu não vou ter a oportunidade de experimentar o violão...

Mas a minha tendencia agora é mesmo de fazer o braço com as medidas que eu coloquei no meu primeiro post.

Agora o braço tem um leve "radius", pelo que eu ouvi dizer melhora bem a tocabilidade.

Share this post


Link to post
Share on other sites

As medidas que você listou estão dentro do padrão, não tem muito como errar. Eu gosto do braço fino com a escala levemente abaulada (radius), mas muita gente prefere braço gordinho arredondado e com escala perfeitamente plana.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Bom para efeito de testemunho somente :

usava um violão com 645 mm/ 52 mm na pestana ( 42 mm entre-cordas ) e 58 mm de entre-cordas no ratilho

pedi para o nosso amigo do forum Polegário, um com 640/52/56. Parece frescura mas para mim ficou perfeito. Impressionante como alguns milimetros fazem tanta diferença ( ao menos para mim ). As cordas " normais" realmente ficam menos tensas, mas dai é só colocar jogos de cordas de tensão alta... Como dito, cuidado com as distância entre cordas, o padrão de 42~42,5mm na pestana acho que é meio universal...

Abraço

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi Augusto,

obrigado por dividir essa experiência. Eu estou quase que decidido com relação à largura do braço, acho que tem que ser mesmo 52mm. Mesmo porque eu costumo usar muitos acordes com corda solta, 52mm reduz o perigo de os dedos abafarem as cordas soltas.

O que o Kirk Sand me disse com relação aos 640mm, é que quanto maior o comprimento do braço, maior o volume de som do violão.

Vale a pena citar que o Kirk Sand costuma trabalhar com o mercado do country americano. Então acredito que a maior parte dos violões que ele faz tem mesmo o braço com uma largura menor. Até mesmo o estilo dos violões que ele faz são bem country. Eu tive que explicitamente dizer que eu não quero inlays de "abalone" (como é o nome em português?) nem no braço, nem no rastilho.

Share this post


Link to post
Share on other sites

ShareBird, essa lógica do tamanho da escala é verdadeira, mas é parte de uma escola espanhola que foi popular nas décadas de 60 e 70 e que não é mais aplicada hoje em dia. Houve um tempo em que violões Fleta e Ramirez era feitos com escalas de 665mm, por exemplo, o que permitia um aumento de tensão e volume.

Hoje em dia, porém, as técnicas de construção utilizadas são diferentes, luthiers como o Thomas Humphrey, Greg Smallman e Gernot Wagner desenvolveram sistemas que permitem um incremento significativo de volume sem alterar as dimensões do instrumento. E mesmo os luthiers mais tradicionais não fazem mais uso do aumento da escala como forma de ganhar volume.

P.S.: Abalone é madrepérola.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!


Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.


Sign In Now