Jump to content

mdossa

Members
  • Content Count

    48
  • Joined

  • Last visited

Community Reputation

0 Neutral

About mdossa

  • Rank
    New Member

Contact Methods

  • Website URL
    http://
  • ICQ
    0

Profile Information

  • Location
    Porto Alegre
  1. mdossa

    Ipê na luteria?

    Pois é Claudinha, na verdade eu estava pensando em aplicações como reforço do braço, escala ou ponte, onde a densidade e a dureza do ipê fossem mais uma vantagem do que um problema. O fato de ser difícil de trabalhar, como o Jorge e o Felipe confirmaram, era a minha maior suspeita. Felipe, o "luthier herói" que arriscasse faixas e fundos de ipê não poderia compensar a tendência de aumentar os agudos adaptando as dimensões da caixa, tipo de estrutura, tampo, etc? Na minha ignorância, entendo que usar uma madeira não-tradicional exige um projeto também não-tradicional... Abraços!
  2. Osmar, meus parabéns também! Ficou muito bonito! Já começou o segundo? Abraço!
  3. mdossa

    Ipê na luteria?

    Pergunto aos luthiers: existe alguma aplicação do ipê na fabricação de instrumentos? Sei que ela não é usada tradicionalmente, e deve haver uma boa razão. Fiquei sabendo de um luthier que não queria usar ipê nem para fazer instrumentos elétricos (sólidos). Tenho curiosidade de saber por quê... Ela é pesada ou dura demais? O acabamento é ruim? Tudo isso junto?? Um abraço!
  4. Vc se refere à umidade do ambiente, mas e a umidade da madeira em si? Também deve afetar a colagem...
  5. Não atrapalhou nada, pelo contrário - a discussão é que é o interessante aqui! Eu concordo, é muito complexa a vibração de um violão, por ser ele próprio um corpo complexo. Como você disse, a interação de todas as partes do instrumento com o ar no interior e no exterior dele é que vai definir o timbre, o volume, a projeção e a dinâmica do violão. Por isso não é fácil prever como vai soar o instrumento. Os luthiers se baseiam na experiência e no conhecimento transmitido dos mestres para os aprendizes. O artigo do link que vc mandou tenta dar uma explicação mais científica para a influência de cada parte na vibração do todo. Mas o que me chamou a atenção é que os luthiers ressaltam muito a importância do tampo e do leque harmônico na produção do som, ficando a ponte em uma posição secundária (pode ser que eu esteja enganado, mas é a impressão que eu tenho depois de ler vários livros e fóruns sobre luteria), enquanto o artigo diz o contrário: a ponte tem uma influência maior no som do que o leque harmônico. Ora, se for verdade, do que adianta testar configurações de leque, calibrar as barras com toda a precisão, etc. e não ter o mesmo cuidado com a ponte? Parece aqele cara que consertou todas as torneiras que estavam pingando, mas não fechou o rombo na caixa-d'água... Abraço!
  6. nhanduti, ainda não li o artigo, mas dei uma olhada no link acima. É um trabalho detalhado sobre a acústica do violão, muito interessante mesmo! Obrigado pela dica. O que me chamou a atenção é que as conclusões no final indicam que o que mais influencia nas características de ressonância do violão é a ponte! Em segundo lugar vem a espessura do tampo, e a estrutura do leque harmônico vem em terceiro lugar, com influência relativamente pequena, apenas para ajustes finos. Na minha enorme ignorância, isso é uma surpresa. Claro que relacionar as características de ressonância (objetivas) com as de timbre (subjetivas) é uma outra história... O que os luthiers, pela sua experiência, têm a dizer sobre isso? Abraços e Feliz Natal para todos!
  7. mdossa

    Goma-laca

    É, Ruben vou fazer isso. Obrigado pela dica também, Robert!
  8. mdossa

    Goma-laca

    Olá, pessoal! preparei uma quantidade de goma-laca, dissolvendo os flocos em álcool 99. Está decantando há dois dias e ainda continua com aparência leitosa. Já posso desistir e jogar fora? Isso tem a ver com a qualidade da laca ou ela está simplesmente velha? Obrigado e um abraço!
  9. Oi Léo, realmente, é preciso que o projetista do mosaico tenha capacidade de abstração para imaginar a roseta circular. Ainda assim essa planilha ajuda a acelerar o processo de design, pois bastam uns cliques para montar um motivo e ter uma boa idéia de como ele fica ao ser repetido. Fazer isso no papel quadriculado é bem mais trabalhoso e demorado. Quem já tentou sabe do que estou falando... Mas vou encarar esse desafio e ver se consigo desenhar a roseta no Excel. Abraço!
  10. Elísio, bonito o seu trabalho no cavalete! Parabéns! (Só me apavorei com a foto de vc ajustando o cavalete em cima da plaina elétrica.... Cuidado, meu! ) Abraço, Marcos
  11. Olá Léo, boa pergunta, acho que vale uma explicação. A planilha mostra como o mosaico ficaria em linha reta, não tem capacidade de mostrar em curva. A intenção dela é substituir o papel quadriculado e dar ao luthier uma alternativa mais rápida para testar ideias e ver como ficaria o efeito do design. Para fazer a roseta realmente, é necessário reproduzir na madeira o desenho da grade (a parte mais à esquerda) e daí fazer o procedimento que o Wolf Schmidt mostrou no post dele sobre mosaicos. Abraço!
  12. mdossa

    Violão rascunho

    Valeu Eugenio! Aqui estou iniciando a dar forma ao braço. Tenho gabaritos para a curva na pestana, no meio do braço e próximo ao corpo. Aqui é o braço com a forma bem perto da final.
  13. Há poucos dias li o posto do Wolf sobre os mosaicos que ele faz para as rosetas. Vi que tem mais gente interessada no assunto, então resolvi disponibilizar essa planilha que fiz para auxiliar no design do mosaico. http://rapidshare.de/files/48014028/mosaico.xls.html É bem simples, mas vai agilizar o trabalho de quem quiser criar um design mais complexo. É só clicar em um quadrinho da área da grade para preencher com a cor selecionada. O desenho feito na grade é automaticamente repetido para dar a idéia de como vai ficar. Para mudar de cor é só clicar na área de seleção de cores. A altura e a largura do mosaico podem ser alteradas a qualquer momento, é só digitar o valor desejado nas células correspondentes. Selecionando Espelhar: Sim, o desenho básico é invertido a cada duas repetições. As macros devem estar habilitadas! Espero que gostem. A planilha foi feita em Excel 2007, portanto se encontrarem alguma incompatibilidade com o Excel 2003, por favor me avisem. Abraços! Iniciando um design: Incluindo duas cores: O mesmo design, com a opção espelhar: Outro exemplo de mosaico simples:
  14. Legal, Wolf! Eu tenho vontade de me aventurar nessa arte também, nem que seja só para experimentar. Vc disse que dá um trabalhão, e eu acredito! Vc costuma usar uma medida fixa para as lâminas que corta das barrinhas? Abraço!
  15. mdossa

    Violão rascunho

    Segue o baile, agora com a escala. Essa fase demorou bastante. Em parte porque realmente não tive muito tempo para me dedicar nas últimas semanas, mas também porque é uma fase crítica. Resolvi fazer a escala curva, com raio de 30 cm. Foi um sufoco fazer essa curvatura, mas o resultado ficou bem aceitável. Preparação da escala na tábua de lixar. A madeira eu peguei de uma esquadria de demolição. Pelos meus poucos conhecimentos, deve ser cabreúva ou semelhante. Colagem da escala no braço. Escala colada. Os botões são de madrepérola, que comprei da Luthiers Mercantile.
×
×
  • Create New...