Jump to content

zanettibodziak

Members
  • Content Count

    298
  • Joined

  • Last visited

Everything posted by zanettibodziak

  1. zanettibodziak

    Jacarandás e jacarandás !

    Todo mundo sabe que o jacarandá-da-bahia _ Dalbergia nigra - é a madeira mais nobre para faixas e fundos de violões, e que atualmente está praticamente extinta para uso violonístico, apenas encontradas em estoques antigos ( os jacarandás legais ) é claro. Vemos muitos luthiers internacionais vendendo o brazilian rosewwod , mas na verdade são outras madeiras , as vezes, ..É que o jacarandá da bahia pode ser confundido com outras madeiras, senão vejamos: - Machaerium scleroxylon - caviuna ou jacarandá caviuna, também é conhecido por pau-ferro; - Machaerium villosum - Santos Rosewwod , jacarandá mineiro ou jacarandá paulista; - Caesalpinae ferrea - pau ferro; Algumas espécies de pau-ferro chão chamadas no exterior de bolivian rosewood ou jacarandá boliviano. - Machaerium ampium - Pau - ferro de Goiás - Machaerium macronulatum - Pau ferro de Pernambuco; - Machaerium capacum - jacarandá-de-espinho; - Zollemia ilicifolia - orelha de onça; - Machaerium pedicelatum - jacarandá roxo; - Machaerium oblongifollum - jacarandá cipó, e - Machaerium tegale - jacarandá roxo. - Dalbergia spruceana - jacarandá do Pará - Dalbergia cearensis - Kingwood , jacarandá violeta, que é confundida com o Roxinho - Pellogyne spp. Apenas para ilustrar, em 1980 a rainha Elizabeth recebeu um violão de Paul Fisher com esta madeira, o que é uma raridade, já que as toras raramente atingem um diãmetro superior a 25 cm. - Dalbergia granadillo - América Central e México - famoso Cocobolo, madeira escura e com bonitos desenhos violetas escuros. Todos os jacarandás verdadeiros são do genero Dalbergia; Dalbergia nigra - jacarandá da bahia; Dalbergia Cearensis - chamado de kingwood; Dalbergia latifolia - jacarandá indiano; Dalbergia melanoxylon - granadilho ou african blackwood; Temos também, outros gêneros Dalbergia, como: Dalbergia Decipularis, Dalbergia fruteoceus, Dalbergia tormentosa e Dalbergia variabilis. Ainda com respeito ao " verdadeiro " jacarandá da bahia, temos os seguintes tipos , adotados como padrão por alguns luthiers: - Jacarandá Imperial - tipo escuro - floresta alta e densa, solo alcalino e pedregoso. Cor básica laranja escuro, marrom chocolate até violeta, com linhas finas quase pretas. Não escurece com o passar do tempo; - Jacarandá Colonial - Floresta média, solo alcalino e profundo. Cor básica variada, linhas largas ou franjas mais escuras. Com o passar do tempo fica muito escuro, quase preto; - Jacarandá Piaui - Floresta baixa, seca e aberta ( sertão ), solo alcalino. Cor básica marrom avermelhado com linhas mais escuras uniformemente distribuidas. Escurece até ficar de cor marrom calido. - jacarandá grassland - tipo claro . Crescimento isolado no campo, solo acido, cor clara ou desenho escuro. As vezes chamado de jacarandá do cerrado. - Denominação de jacarandá em outros idiomas: - Palo-santo - palissandro ( Espanha - Portugual ) - Rosewwod - inglês - Palissandre - francês - palisanderhols - alemão O jacarandá é da família das leguminosas - papilionaceas do gênero Dalbergia, e tem cerca de 200 espécies ao redor do mundo, destas, umas 20 são de interesse comercial, já que sua madeira se caracteriza por excelente propriedade de trabalhabilidade, polimento direto muito bom e as vezes colagem e vernizagem defícil pelo elevado conteúdo de óleo e poros dilatados, mas sempre de coeficiente de amortecimento ( fricção interna ) baixo, o que determina um sustain de som prolongado quando a peça é percutida. Isto determina o seu valor como material para instrumentos musicais. Todas as espécies de dalbergia, tem um elevado conteúdo de corantes que se assemelham a anéis de crescimento, de forma e cores muito variadas, mas que nada tem a ver com o anel de crescimento das plantas, já que se sorepôem a estes, cruzando-os. Quando ao seu substituto, o jacarandá indiano, as árvores de maior porte já não são tão aproveitadas, e com o passar dos anos a tendência também é a excassez. A madeira é vendida em leilões pelo governo indiano. Também o jacarandá africano - Dalbergia Melanoxylon ou african blackwood é confundido com o jacarandá do Pará ( Dalbergia spruceana ), sendo excelente para fundos, porém é de toras muito retorcidas e de escasso aproveitamento, sendo vendido a preço de ouro no exterior assim como o nosso jacarandá da bahia. - " Prefiro o cheiro de chocolate ao cheiro de urina !" ( frase proferida por algum membro deste forum... ) Zanetti
  2. zanettibodziak

    Consórcio de violões

    Parabéns pela iniciativa garrido! Muito legal , assim, não será difícil o estudante adquirir um violão de luthier!
  3. zanettibodziak

    Quem tem experiencias com violoes do Sugiyama ?

    Tenho um violão de tampo em cedro, que só de pensar já risca, pois o cedro é muito mole. Qualquer batida de unha marca! No caso de abeto é bem mais duro! O égócio é não pensar somente na estética, mas usar bastante o instrumento. A goma-lacxa até pode ser refeita por um bom luthier!
  4. zanettibodziak

    Violão - 7 cordas - Wolf Schmidt

    Para os fãs de fotos de violão ( como eu ), aqui está a minha nova aquisição. Violão do luthier Wolf Schmidt 7 cordas Réplica do Torres fase Sevilha - modelo concertista. - Tampo em abeto com mais ou menos 35 anos afinado em G# - faixas e fundo em jacarandá da bahia centenário ( muito bonito ) - roseta artesanal réplica do violão Torres. - tarraxas Gotoh - acabamento todo em goma-laca O som é bem gostoso, mais para doce do que para brilhante com um volume muito bom para um violão tradicional de abeto, que ainda não abriu totalmente. Apresenta bonitos harmônicos e o som responde plenamente á mínima angulação dos dedos. o luthier Wolf tem muito futuro pela frente e ainda vai dar muito o que falar! abços Zanetti Uploaded with ImageShack.us
  5. zanettibodziak

    Violão - 7 cordas - Wolf Schmidt

    Essa parte específica de construção eu não entendo muito . Vou verificar com o luthier, pois segundo ele existe um livro específico sobre afinação ou timbramento de tampos uma vez que o assunto é muito complexo!
  6. zanettibodziak

    Violão - 7 cordas - Wolf Schmidt

    Sobre a afinação do tampo o Wolf me falou o seguinte; " O tampo é afinado em G# para dar mais equilibrio ao instrumento, ha quem afine em G mas eu acho que acaba deixando a corda G muito evidente, outros afinam em F# o que deixa o violão um pouco mais grave mas sem desequilibrar ( particularmente gosto muito disso ), nesse caso eu afinei em G# por ele ser 7cordas e ja ter uma tendencia grave natural, se afinasse em F# os graves ficariam fortes demais, por isso optei pelo G# ." abços Zanettif
  7. zanettibodziak

    QUal melhor tipo de braço ?

    O Meu Abreu tem um braço normal, o Lineu Bravo é mais fino que o Abreu. O Lineu de cedro é o violão mais confortável e mais fácil de tirar som que já testei, além disso é muito leve! Para música popular é um dos melhores que existe, basta ver as gravações do Marcos tardelli no You tube que usa um Lineu;
  8. zanettibodziak

    Violão - 7 cordas - Wolf Schmidt

    Obrigado Eugênio e Paiva. Vou colocar a gravação sim, é que ainda não estou muito acostumado com 7 cordas...estou indo devagar.. he he! Não tenho certeza se ele construiu, vou verificar. Zanetti
  9. zanettibodziak

    Violão - 7 cordas - Wolf Schmidt

    Olá Vinicius! na verdade não fui eu quem encomendei. Já comprei pronto do revendedor aqui de Curitiba, o LeoCwb. Pelo que sei o Wolf afina os tampos em F# ou G# dimensiona as caixas para obtenção do som mais adequado ao ideal , neste caso ao padrão Torres. Vou perguntar a ele se há uma afinação padrão! A tarraxa de banjo acho que foi para não tirar a simetria da mão que neste caso é igual a original do Torres, uma vez que este violão é uma réplica. O Sergio Abreu também adota essa solução em seu 7 cordas. Quando gravar posto, vou arrumar um micriofone para acoplar à Nikon ! abços Zanetti
  10. zanettibodziak

    Double Top

    Estou retorinado a este forum! Lembro do gelão que tinha um violão do Polegário chamado de " Velho "! E aí Polegário! Manda brasa...quem sabe ainda adquiro um DT.!
  11. zanettibodziak

    Violão Greg Byers

    Este ´" retrógado "a que vc se refere tem o direito de dar opiniões no forum e se ele gosta tão somente do violão tradicional de abeto e goma-laca, devemos respeitar a opinião dele.... Já ouvi comentário de concertistas sobre a excelência de seu violão!
  12. zanettibodziak

    Violão Greg Byers

    Tenho um Abreu há pouco tempo . é assim mesmo. As vezes pego ele e o som sai meio sem-graça, sem há mágica...daí lixo bem as unhas,arredondo bem, faço as posições e notas bem próximas ao traste, angulação dos dedos, etc... o som fica sensacional...um violão delator que exige muito das unhas e técnica... e o violão é bem tenso! Tenho um violão do luthier Marcos jackel de Curitiba, que não é muito da mídia...Este sim, é cópia fiel do Torres, com a caixa um pouco menor e de maior profundidade...este tem um som com muitos harmônicos e que facilidade de tirar o som !,ao contrário do Abreu. Então acho que violão perfeito não existe...talvez se o Abreu tivesse a mão do Hauser I e fosse mais fácil de tirar o som, este seria o violão perfeito...para mim é claro, pois a tendência hoje é dos famosos concertistas usarem violões modernos ( double-top , treliça, millenium e da escola australiana )... Existem muitos poucos violonistas no exterior que usam violões tradicionais como o Abreu, para não dizer quase nenhum! Zanetti
  13. zanettibodziak

    Violão Greg Byers

    Eu adquiri um Abreu e até concordo relativamente. O Abreu não é um violao tão fácil de tocar no que tange ao conforto. Tenho outros dois, um é do luthier Marcos Jackel de abeto, o som é bem mais fácil de tirar.. E o Barros de cedro, nem se fala, o som nunca sai uma porcaria. No Abreu, se vc não tiver as unhas bem lixadas, qualquer resbalo, o som se projeta, qualquer minima inclinação do dedo sem tirar da casa ele transmite...é um violão de ponta...e você tem que estar com a técnica em dia!
  14. zanettibodziak

    Uma Graf especial

    Este violão SA, assim como outros de alto nível ( Tessarin, Arone, SC, etc . ) ...merecem uma graf ou rodgers... Esta graf é top de linha, mas pela metade do preço já é possível ter as graf mais simples...O mecanismo é o mesmo, somente muda as customizações!
  15. zanettibodziak

    Uma Graf especial

    Sergio Abreu - 610 - recém adquirido!
  16. Violão Sergio Abreu 2011

  17. zanettibodziak

    Uma Graf especial

    Aqui a tarraxa que adquiri recentemente do Huh: Uploaded with ImageShack.us
  18. zanettibodziak

    As Cordas Usadas por Raphael

    Eu uso as duas .. a diferença eh que a imperial tem tensãi média e a regasl tensão alta...a imperial tem um pouco mais de harmônicos...os baixos da regal e imperial são os mesmos ( blue ) somente muda a tensão das primas...Zanetti
  19. zanettibodziak

    Quem possui violão 7 cordas Barros ?

    Olá ! Eu tenho um seis cordas Barros desde 2007. O violão tem muitas qualidades e alguns defeitos que mandei reparar... O som é muito bom para MPB, tanto é que o João Bosco adquiriu um... Como o tampo é de cedro o som permanece quase o mesmo..até melhorou , pois troquei o verniz do tampo para nitrocelulose, pois havia uma camada muito grossa de PU no tampo ( defeito )..Agora aparece até os veios laterais no tampo... Outro defeito ( não sei se é bem isso ) o violão veio com tarraxas Condor, e o luthier havia falado que usava a Schaller..esta é bem superior à Condor que é muito ruim...pretendo trocar no futuro.. Outro defeito que reparei...estava trastejando em algumas casas...mandei o meu luthier do outro violão que tenho fazer um novo rastilho, um pouco mais alto nos bordões...ficou perfeito, pois ele fez um rastilho compensado. Também ele usou jacarandá da bahia de uma cor no fundo e de outra cor nas laterais, uma vez que o fundo é bem preto e a lateral um pouco mais marrom com veios laranjas, mas isso não altera em nada o som. O violão tem uma tocabilidade muito boa, bem confortável..uso cordas Savarez crystal e se adaptou bem no violão. Também esse violão é bem mais pesado que o outro de abeto que tenho...esse tem um acabamento excepcional! abços Zanetti
  20. zanettibodziak

    Que cordas comprar?

    Testei varios tipos, e fechei com savarez corum crystal para o violão de cedro e augustione imperial blue para o violão de pinho, pois os harmônicos ficam mais bonitos neste... Quanto á durabilidade, a savarez é bem melhor que a augustine.l!
  21. zanettibodziak

    Novos Luthiers

    .
  22. zanettibodziak

    Novos Luthiers

    A roseta fui eu quem escolhi o tema e o Marcos montou. Até pedi ela meio exagerada...he he ! Te passo um mp com o telefone. Zanetti
  23. zanettibodziak

    Novos Luthiers

    Veja na imagem do meio desta pagina, bem perto da borba do tampo em baixo, da para ver 2 manchas bear claw..pela iluminacao nao aparece muito bem.
  24. zanettibodziak

    Novos Luthiers

    Violão Marcos jackel Uploaded with ImageShack.us
×