Jump to content
Sign in to follow this  
Ivanhoé

Polegário Luthier

Recommended Posts

O Pole, fala ae... como é a espessura da imbuia q tu usou, eu queria imbuia p meu projeto tb, mas nosso luthier fez um e me mostrou.. o som ficou fanhoso demais, daí ele mesmo não gosta, talvez seja a espessura q ficou fina e permitiu vibração demais, né?

Share this post


Link to post
Share on other sites

O violão do Humberto, 7 cordas, é de Imbuia também e não tem nada de fanho. também acho que não foi culpa da madeira em si.

Share this post


Link to post
Share on other sites
O violão do Humberto, 7 cordas, é de Imbuia também e não tem nada de fanho. também acho que não foi culpa da madeira em sim.

Pois é Guto... também concordo contigo.

Lima,

eu tomo cuidado com as espessuras da imbúia, para vibrações ficarem da maneira que eu gosto, e mesmo assim, depois do violão todo fechado, eu faço uma regulagem fina nas espessuras, usando o sentimento e deixando elas da maneira que eu gosto. isto é, respondendo da melhor forma em relação ao tampo. deixo a imbúia com 2,5, pra fazer esse ajuste fino depois.

Faço da mesma forma com o tampo, geralmente deixo meus tampos com 2,9 a 2,8 e vou soltando e calibrando a sustentação e melhor rendimento de timbre dele depois de todo fechado. só dou uma compensação pra depois que colar o cavalete não ficar mais preso.. isso tudo no sentimento mesmo.

Agora, essa coisa de ficar fanho, tem mais a ver com espessura do tampo, ele deve ter afinado além da conta.

Mas, se ele afinar ""muuuito"" as laterais e fundos também vai fazer diferença.

Creio que uma imbúia com espessura inferior a 1,7 vai favorecer isso também, mas, o principal fator deve ser o tampo muito fino mesmo.

Isso é a minha opinião.

Dá uma olhada nesse vído e me diz o que vc acha desse violão.

http://br.youtube.com/watch?v=Is4qAeM32Ok

Ele tem as mesmas configurações desse que stou fazendo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi gente!

Agora me pousou uma dúvida...

Não sei se esse violão era realmente em imbúia...

Acho que o de imbúia que ele usava era um doSouto.. se não me engano...

Alguém que tenha certeza poderia ajudar??

Ivan??

Abração!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Que eu saiba, era de Jacarandá Bahiano mesmo, mas certeza absoluta não tenho. Talvez o Ricardo Dias saiba com certeza as madeiras.

Os Do Souto, de Imbuia mesmo.

Abraço!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Pois é Ivan... acho que é isso mesmo...

O Mário Sampaio comentou aqui no tópico que essa configuração era a mesma do violão dele, daí eu me confundi então... acho que ele se referiu ao violão antigo do Rafael que era o doSouto.

Abração!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi Polegario.

Me surgiu uma dúvida. Voce disse que usa espessura de 2,5 mm para o fundo em Imbuia. Não é muito fino, uma vez que usando o jacarandá como referencia, a espessura do fundo de jacaranda baiano é em torno de 2,5 mm?

Se considerarmos a proporção de massa especifica das madeias, o fundo de Imbuia deveria ter 3,4 mm.

Estou correto, ou voce esta acostumado a usar 2,5 mm para a Inbuia?

Agradeço sua informãção.

Eugenio.

Pois é Ivan... acho que é isso mesmo...

O Mário Sampaio comentou aqui no tópico que essa configuração era a mesma do violão dele, daí eu me confundi então... acho que ele se referiu ao violão antigo do Rafael que era o doSouto.

Abração!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Oi Emac!

Onde você achou essa referência do jacarandá indiano a 2,5?

Eu sempre usei como referência 2,0 e 1,9 , dessas medidas pra cima só uso em madeiras menos densas.

Um jacarandá com mais de 2.0 já vai ficando mais difícil de envergar também. (claro isso dependendo da densidade do jacarandá)

Agora esse lance de densidade, também depende muito.

Essa madeira que vc está vendo aí nas fotos é quase uma rádica, com partes muuuinto mais densas que outras.

Essas densidades são medidas por uma média, acho eu, pois se vc cortar uma peça de uma certa largura e picotar ela em vários pedaços, cada pedaço irá ter uma densidade diferente em uma mesma madeira.

Por isso, que as vezes vc escuta um luthier aqui e ali dizer que as mãos do luthier é que fazem a diferença, o tato com a madeira faz vc ir se familiarizando com elas, e sabendo qual vc pode afinar mais ou não.

Isso acontece com o tampo também.

Outra coisa que se tem que levar em conta são as espessuras internas, das estruturas, pois isso também influência no resultado final.

Se vc me perguntar a espessura final dos meus violões, eu nunca vou saber te dar essa resposta, pois eu faço um ajuste fino depois da caixa montada, como falei em um post acima.(depois vou ver se consigo comprar um medidor de espessura magnético pra essa finalidade rs) :thumbsup:

Abração!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...