Jump to content
augusto yamaguti

cedro x pinho

Recommended Posts

Pessoal como ainda tenho algumas dúvidas sobre o tampo cedro x tampo pinho :

1. Poderiam me indicar tópicos referentes discutidos aqui ?

2. cedro = acordes, acompanhamento, som maduro ? Mas por que tantos solistas, eruditos e populares, parecem ter preferência pelo violão de cedro ? J. Willians, Yamashita, Yamandu, Baden entre outros

3. Pinho = som com pontas ( S. Huh ), bem distintos, amadurece e abre com o tempo. Preferidos pelos solistas eruditos, apesar das exceções

4. Violões equivalentes de pinho (abeto) são mais valorizados ($) no mercado em relação ao cedro ?

Abraço.

Share this post


Link to post
Share on other sites

cedro = som escuro e com bom retorno pro intérprete (o violonista ouve o que a platéia ouve). O som que muita gente associa ao violão espanhol é de um tampo de cedro.

pinho = som bom de verdade só começa a aparecer com 5 anos de envelhecimento, melhor projeção, timbre mais aberto e com mais parciais agudas, maior definição individual das notas.

Em alguns locais um desses tipos de tampo vendem mais rápido. Porém, não é uma diferença grande o suficiente para afetar o valor de revenda consideravelmente, e com frequência se numa região um tipo de tampo é preferido, na vizinha a preferência será outra ou não há diferença.

Os motivos de um bom violonista usar um tipo de tampo são muitos, e alguns nem são racionais. Tem gente por aí que faz várias coisas como guardar um espaço especial na gaveta pra uma cueca puída cheia de "freiada" porque acha que aquela cueca tem poderes mágicos que o faz tocar melhor, imagine quando a gente fala de um negócio que determina diretamente o resultado final!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Augusto, eu, por exemplo, toco popular e sempre fui fã do pinho. Essa história de um pra erudito e outro pra cedro é que não cola, saca?

Eu gosto dessa coisa do timbre bem definido, notas mais separadas. Penso eu que, por conta de destacar mais os agudos, o pinho tenha essa característica. Já o cedro, por destacar um pouco mais os graves, teria esse lance de "embolar" mais as notas. Mas também nem é bem isso, as notas mesmo não ficam "emboladas", não sei dizer direito. Parece que fica tudo mais uniforme, difícil com palavras, mas me passa a impressão de que todos os harmônicos ficam mais iguais, mais equivalentes. Não que você não consiga destacar as notas, os solistas que tocam com cedro o fazem muito bem.

Mas sei lá, simpatizei com o pinho desde sempre, acho que ele tem mais brilho, mais colorido, além de eu achar mais bonito esteticamente e com um cheiro indescritivelmente melhor. Fora esse fato do som ir abrindo com o tempo, que é uma maravilha, um brindezinho a mais. Não que o cedro não abra, mas é bem menos, o som dele logo depois do violão construído é bem próximo do seu auge.

No fim parece questão de gosto pessoal mesmo e quem menos vai notar a diferença é a platéia.

Na questão do preço, geralmente em tampos de qualidade equivalente, o pinho acaba saindo um pouco mais caro, talvez por isso tenha uma pequena diferença o preço. Mas é diferença nem é tanta, na maioria das vezes o luthier nem muda nada no preço final do instrumento.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Qual a razão de muitos solistas, eruditos inclusive, preferirem cedro apesar do pinho ter em tese uma sonoridade mais apropriada ?

E qual é a tese que diz que um é mais apropriado que o outro?

Olhe nos palcos de hoje. Sei lá, pegue o maior festival do violão do continente americano (a convenção da GFA) e o maior festival de violão da Europa (Koblenz ou Córdoba, depende do ano). Aposto que vai ter mais gente usando violão de cedro. Principalmente se for em Córdoba.

Share this post


Link to post
Share on other sites
E qual é a tese que diz que um é mais apropriado que o outro?

Olhe nos palcos de hoje. Sei lá, pegue o maior festival do violão do continente americano (a convenção da GFA) e o maior festival de violão da Europa (Koblenz ou Córdoba, depende do ano). Aposto que vai ter mais gente usando violão de cedro. Principalmente se for em Córdoba.

Pegue também festivais de música popular, como de choro, vai ver que muita gente tem em seus 7 cordas um belo tampo de pinho. É que um dia alguém falou isso, que um era pra erudito e outro pra popular, e virou um falso corolário de tanto as pessoas repetirem.

Share this post


Link to post
Share on other sites

E qual é a tese que diz que um é mais apropriado que o outro?

Álvaro escreve "pinho :...melhor projeção, timbre mais aberto e com mais parciais agudas, maior definição individual das notas " Isso não seria mais favorável para erudito ?

Abraço.

Share this post


Link to post
Share on other sites

" É que um dia alguém falou isso, que um era pra erudito e outro pra popular, e virou um falso corolário de tanto as pessoas repetirem "

Então humberto, esse é o ponto : não tem nada a ver então essa "convenção" de que abeto=erudito/ solo, cedro=popular/ acompanhamento ?

No fundo é questão de gosto pessoal mesmo ?

Abraço.

Share this post


Link to post
Share on other sites
" É que um dia alguém falou isso, que um era pra erudito e outro pra popular, e virou um falso corolário de tanto as pessoas repetirem "

Então humberto, esse é o ponto : não tem nada a ver então essa "convenção" de que abeto=erudito/ solo, cedro=popular/ acompanhamento ?

No fundo é questão de gosto pessoal mesmo ?

Abraço.

Bingo! :thumbsup:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now

×