Jump to content
Sign in to follow this  
Eugenio

A Música de Ulisses Rocha

Recommended Posts

dicionario3.jpg

Ulisses Rocha nasceu no Rio de Janeiro em 1960. Ele começou a tocar violão ainda novo e sempre foi muito curioso, inquieto e buscava informações em fontes muito distintas. Como resultado, seu processo de aprendizagem do violão mesclou muitas influências diferentes, de modo que ele estudou música clássica, canções tradicionais, Rock'n'Roll e diversos outros estilos.

O resultado é um estilo difícil de definir. Sua músic é harmonicamente sofisticada, tecnicamente desafiadora e normalmente fácil de apreciar. Tão diversificada quanto suas influências, sua carreira seguiu um caminho peculiar e ele trabalhou como arranjador de diversos cantores e cantoras brasileiros. Ele também fez parte do Grupo D'Alma nos anos 70, um trio de violões que é tido como influência para que Al diMeola, John McLaughlin e Paco de Lucia começassem a tocar.

Seus discos são bastante ecléticos e não estão vinculados à tradição brasileira de choros e outros gêneros que foram oriundos do violão nos últimos 100 anos. Em vez disso, Ulisses e outros músicos de sua geração receberam uma forte influência da música pop e a traduziram numa rica linguagem adicionada ao repertório brasileiro de música para violão.

Eis aqui Ulisses tocando o seu arranjo de Ponteio, a popular canção composta por Edu Lobo e Capinam.

Aqui se ouve Ulisses tocando uma de suas composições, Volta Rapidinho, que é um baião, um típico ritmo nordestino, onde uma das características mais interessantes é que os baixos parecem sempre um pouco atrasados e "deslocados" de onde eles "deveriam" estar.

Volta Rapidinho (Ulisses Rocha)

Abaixo se ouve uma das composições mais recentes de Ulisses, Desatino. Aliás, essa palavra "desatino" no sentido poético e romântico, é extremamente difícil de traduzir para outros idiomas, pois traduzir diretamente como loucura ou insanidade quebra bastante o sentido, dependendo do contexto.

Desatino (Ulisses Rocha)

Ulisses também vem desenvolvendo um notável trabalho como professor na Unicamp. Como parte desse trabalho, ele escreveu uma série de 10 Estudos para violão solo. O 9º estudo visa a desenvolver uma técnica muito usada por Baden Powell, que consiste em tocar acordes inteiros com apenas os dedos i-m, em vez de i-m-a. Aliás, Ulisses usa essa técnica no vídeo de Ponteio, preste atenção nos dedos dele em 00:38.

Estudo Nº 9 (Ulisses Rocha)

Share this post


Link to post
Share on other sites

Um dos pontos que me chamou muito a atenção com respeito ao Ulisses, é ele trazer pro violão músicas não muito exploradas pelo instrumento até então.

Assistindo ao Instrumental SESC Brasil, o vi tocando um arranjo de Simpaty for the Devil dos Stones. Achei aquilo demais!!!

Share this post


Link to post
Share on other sites

Seria isso aqui Nakatani? ;)

estudosparaviolao.jpeg

Livro com estudos para o violão, onde ao mesmo tempo que se desenvolve as habilidades técnicas, também se trabalha repertório. São 10 estudos de tremendo bom gosto, com passagens específicas que preparam o aluno tecnicamente de forma lúdica e musical.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que o Nakatani se referiu às 6 primeiras faixas (Desatino é uma delas). O Ulisses tem as partituras de todas elas, é só entrar em contato direto com ele pra comprar.

Por falar nisso, eu corrigi os links que saíram quebrados nesta versão em português.

Abaixo segue algo que eu já havia escrito antes e que considero pertinente a este tópico.

O Ulisses passou pelo repertório erudito e estuda isso até hoje porque gosta e como ele dá aulas, sempre aparecem pessoas com dúvidas. Pra quem não sabe, ele tem uma grande atuação na área acadêmica e está prestes a se tornar doutor em música. O estudos surgiram meio que em função disso, da experiência dele com ensino e também pela motivação de melhorar aspectos que ele achava que precisava incrementar na sua própria técnica.

Os 5 primeiros estudos trabalham mais fortemente a mão direita. Eles têm a finalidade de trabalhar o posicionamento consistente da mão direita, permitindo alternar o toque com e sem apoio com o movimento mais eficiente possível. Os outros 5 trabalham velocidade, potência e precisão. Mas todos também pedem muito da mão esquerda.

Em todos os 10 ele procurou escrever algo que soasse também bastante musical, sem parecer aqueles estudos chatos e repetitivos. Outro detalhe é que os estudos têm um nível progressivo de dificuldade.

Nino, estudos, de uma maneira geral, não são música de concerto, pode ficar tranqüilo que ele não vai fazer um show onde ele vá tocar os 10. :wink:

Abaixo vai a lista dos estudos com os links pra escutar um minuto de música e a idéia geral.

Estudo No 1 - Este primeiro desenvolve um arpejo que pede bastante dos dedos mais fracos da mão, notoriamente o medio e anular. Os acordes tambem pedem bastante da mão esquerda.

Estudo No 2 - O segundo desenvolve ainda mais a idéia do primeiro e abre caminho também para o que o terceiro exige.

Estudo No 3 - Este surgiu inspirado no Preludio No 4 de Villa-Lobos. A idéia é conseguir um arpejo homogêneo, com constância, controle rítmico e equilíbrio entre as notas de cada acorde. Os acordes misturam cordas soltas e cordas presas nas casas mais agudas o tempo todo.

Estudo No 4 - O número 4 faz uso de acordes pequenos, de 3 notas, do tipo que se usa muito em improvisação jazzística. O arpejo de 4 notas é feito em cima desses acordes pequenos e o polegar e indicador ferem a mesma corda. A estrutura do arpejo mantém os 4 dedos juntos o tempo todo.

Estudo No 5 - Este estudo faz com que a mão direita se mova entre as cordas o tempo todo.

Estudo No 6 - O sexto já começa a explorar mais a velocidade. Ele alterna pequenos solos curtos com apoio, notas sem apoio e acordes o tempo todo.

Estudo No 7 - Esse pede potência e precisão. Também alterna notas com e sem apoio com acordes, mas de uma maneira ainda mais forte que o anterior. Muitas das escalas vão da 1ª à 6ª corda. No finalzinho do sample da música dá pra ouvir um trecho que exige muito do indicador e médio.

Estudo No 8 - O número 8 foi inspirado no Estudo No 2 do Villa. No caso, o Ulisses inseriu aqui alternância entre arpejos de 8 e 16 notas, bem como escalas no meio do estudo.

Estudo No 9 - Este é o estudo que desenvolve um tema melódico com os acordes rasgueados à la Baden Powell.

Estudo No 10 - O décimo e último explora ligados em acordes, que são bem complicados de conseguir com precisão quando são dados em 2 ou 3 cordas simultaneamente.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Volta e meia aparece um cara bom daqui outro dali, outros são falados e qdo se vê não é bem aquilo.

Só que este cara é de arrepiar. Ele tece a música, ao mesmo tempo colore, acentua, metralha... tudo ao mesmo tempo!

E essse arranjo de Simpaty for the Devo? tem no youtube?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aqui um vídeo do Trio 202, formado por Nelson Ayres, Ulisses Rocha e Toninho Ferraguti. Eu tive o prazer de assistir à estréia do grupo no Jazz Standard em NY, foi uma apresentação bem concorrida, até o César Camargo Mariano estava lá. Todos grandes músicos e excelentes pessoas, o Ulisses eu nem preciso falar, o Nelson é gente finíssima e o Toninho Ferraguti é uma figuraça.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Novo video de Ulisses Rocha tocando "Volta Rapidinho", composição própria, num concerto bem recente:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×