Jump to content
Sign in to follow this  
Vinicius de Abreu

Falando sobre repertório 1 - João Pernambuco

Recommended Posts

Pó de mico é um choro pouco comentado, mas de uma beleza sublime!

Eu gosto bastante do Pó de Mico também! Logo mais irei comentar sobre ele.

Bom, seguindo com mais dois choros da lista, estas são as minhas impressões:

Dengoso: Esse é um dos choros do Pernambuco que eu mais gosto. A melodia do A é muito original, muito gostosa e divertida, é um choro sério mas que nos faz querer brincar de tocar violão, no sentido puro da palavra mesmo. É outro dos choros "nazarethianos" do Pernambuco. Eu gosto como o B também é construido, iniciando com aquela série de acordes seguida de uma frase que pega a gente e joga devolta pro tema. As gravações que eu mais gosto desse choro é a do Yamandú Costa com o Valter Silva (disco Yamandú Valter) e do Marcello Gonçalves, que tem no programa do Fábio Zanon. Nunca estudei esse choro, dei uma lida, e com certeza eu o manteria em um arranjo mais elaborado como o do Marcello.
Graúna: O que eu gosto desse choro é que ele te força a tocar com pegada, não acho que seja um choro que funcione tocando fraco. Quanto mais pegado você tocar, melhor ele vai soar, coincidentemente isso me remete exatamente à graúna, que é um pássaro de canto forte e um bicho robusto. O B tem aquela progressão de acordes também que a gente vê muito nos choros do Pernambuco, é bacana pra estudar dinâmica. Acho que funciona muito bem tanto em solo quanto em duo, é um ótimo choro.
Aliás, a presença dessas progressões de acordes iguais em Dengoso e Graúna é muito frequente nos choros do Pernambuco, principalmente no B. Interrogando, que irei comentar mais pra frente, também tem essa característica. O que vocês acham disso?

Share this post


Link to post
Share on other sites

A gravação do Marcello é praticamente uma reinvenção da peça e ficou sensacional.

Eu toquei esse arranjo durante um tempo, me dava um prazer imenso, mas era complicado de manter no dedo e precisava afinar a sétima em A.

Dengoso, mesmo no arranjo original, eu considero que está num nível técnico mais avançado, não é fácil tocar direito.

Graúna é um maxixe que também eu colocaria num nível mais avançado e faz uso de cromatismo na parte B de uma maneira parecida com o que a gente vê em Interrogando.

Graúna pra mim acabou marcando uma outra coisa, é meio que a entrada oficial do Raphael Rabello na "flamencada", ele criou uma introdução meio doida pra essa música meio que pra testar a pimenta flamenca no choro.

Share this post


Link to post
Share on other sites

A gravação do Marcello é praticamente uma reinvenção da peça e ficou sensacional.

Eu toquei esse arranjo durante um tempo, me dava um prazer imenso, mas era complicado de manter no dedo e precisava afinar a sétima em A.

E o que você acha da viabilidade técnica desse arranjo do Marcello? Apesar de todos os arranjos dele serem complicadíssimos, pergunto pois você já se aventurou em algumas coisas dele. Acha esse Dengoso mais viável do que uma Formosa ou Jorge do Fusa dele, por exemplo?

Graúna pra mim acabou marcando uma outra coisa, é meio que a entrada oficial do Raphael Rabello na "flamencada", ele criou uma introdução meio doida pra essa música meio que pra testar a pimenta flamenca no choro.

Curiosamente é a única flamencada que o Raphael dá no disco inteiro de 1988 dele. No resto das faixas, não há essa influência clara como na Graúna.

Share this post


Link to post
Share on other sites

É difícil, mas não chega ao ponto de fazer arrancar os cabelos. Essa música é um show de bola no violão de 7. :thumbsupsmiley:

O arranjo de Formosa é bem mais complicado. :raiva:

Uma coisa que o Marcello poliu bem foram as pontes, as passagens entre A, B e C ficaram muito redondas.

É como se ele tivesse pego um diamante e re-lapidado da forma que mais valorizasse ainda mais a gema.

Quanto ao Rafa, é justamente pelo fato da Graúna ser a única flamencada é que eu vejo ali como o começo de tudo, aquilo ficou na minha cabeça porque eu achei meio sem sentido.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Maravilha! Vou ver se consigo de alguma forma a transcrição desse arranjo do Marcello, de repente alguém faz esse trabalho de transcrição, eu preciso colocar a minha sétima pra funcionar um pouquinho mais.

Aqui um vídeo de um pessoal da pesada tocando a Graúna com pandeiro, bandolim e o caramba a 4. Vocês gostam dos choros de Pernambuco quando tocados em regional de choro? Já pude escutar algumas coisas, e funciona bem demais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Graúna fica uma maravilha com regional de choro, vai aqui um exemplo, o Nó em Pingo D'Água, esses caras são bons demais.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Ótimo tópico!

Estou numa correria lascada, gostaria muito de participar mais, vou ver se consigo no final de semana...

Gravei Sons de Carrilhões em duo com um aluno, existem muitas versões para dois violões, mas acho essa bem interessante:

Share this post


Link to post
Share on other sites

Graúna fica uma maravilha com regional de choro, vai aqui um exemplo, o Nó em Pingo D'Água, esses caras são bons demais.

Muito bom...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Uma coisa que me chamou a atenção ouvindo várias peças do JP durante esse tópico foi o jeito como ele usava o polegar, ele martelava 3 notas seguidas e preenchia o espaço que seria da síncope. Dengoso tem isso o tempo todo.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Create an account or sign in to comment

You need to be a member in order to leave a comment

Create an account

Sign up for a new account in our community. It's easy!

Register a new account

Sign in

Already have an account? Sign in here.

Sign In Now
Sign in to follow this  

×