Jump to content
Sign in to follow this  
CarlosEdu

João Gilberto e o processo de harmonia no Brasil

Recommended Posts

De tudo que vi até hoje, além de ver o próprio Baden, Jobim, Toquinho, Nara, João, esse é o melhor que vi até hoje e cabe aqui, tanto sobre João, quanto sobre a busca incessante de novas harmonias por Lyra, Menescal, Nara etc

Share this post


Link to post
Share on other sites

Acho que JB fez escola em relação à interpretação de um estilo, mas não em relação à harmonia. As harmonias eram do Tom.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Verdade Renato, sempre notei, o grande lance na verdade, a maneira de cantar e a batida rs.

Tom era altamente estudado, desde sua paixão por Villa, aulas com um dos primeiros grandes professores alemão Hans-Joachim Koellreuter e claro sua relação com Radamés.

No penúltimo semestre na faculdade tive um grande prof da ufba que tocava violino e piano muito bem, vencedor de concurso Nacional em Minas, e analisamos com ele durante um semestre: Luiza, Chega de Saudade e iniciamos Gabriela (que de espanto, tem acho que 105 acordes), ou seja, Tom era um músico genial, João colocou a batida e tds diziam "gênio", tem essa parte rs.

Mas veja as explicações do prof. Aderbal, tem algumas coisinhas implícitas que João desenvolvia que precisam ser respeitadas rs.

Inclusive a genialidade de Tom, em termos criacionistas é incomum, basta cadencia Luiza ou Gabriela e teram uma dor de cabeça. Minha prof de piano, Ekaterina Konopleva, russa, veio para o Brasil apaixonada pela nossa música e ela destrinchando Agua de Bebê, Luiza, Águas de Março etc era fora de série.

Ah, eu tinha pastas de cifras destes e quando comparava: Chega de Saudades, Desafinado, etc, por Tom e por João ficava me perguntar, o que João acrescentou? Rs

Edited by CarlosEdu

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre harmonia, acho sempre válido estudar harmonia tradicional. Isso porque a harmonia tradicional é geral, não se restringe a um instrumento. Infelizmente nunca vi os livros de harmonia do Marco Pereira, mas os do Chediak não me convencem. Eu sei que eu sou chato, mas eu fico de cabelo em pé (o pouco que me resta) quando eu vejo as explicações dele sobre dominantes secundários e entre outras coisas. É muito raso.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sou do time que também não consegue apreciar João Gilberto e assim como o Canduta, acho ele muuuuito supervalorizado. Tem uma coisa ou outra que eu realmente gosto, a Izaura que ele gravou no album branco é muito legal, mas confesso que no geral, João Gilberto me dá nos nervos. Esse negócio de Oba-la-la, Barquinho e Lobo Bobo é pateta e sacal demais pra mim.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não me recordo de ninguém antes do João Gilberto na música popular brasileira que trabalhasse tão bem as inversões de acordes.

Não foi só na batida que ele fez escola....

Edited by Dilson

Share this post


Link to post
Share on other sites

João Gilberto precisa ser analisado como um todo, pois ele é um marco na música popular ao lançar uma nova estética.

Essa nova estética exerceu grande força gravitacional entre músicos, cantores e compositores.

Isso é mais que ser um grande/novo intérprete, ele trabalhou para uma mudança de paradigma.

A mpb começou a trilhar caminhos que não seriam possíveis sem João Gilberto.

Acredito ser um erro analisá-lo sem uma perspectiva histórica.

Edited by Dilson

Share this post


Link to post
Share on other sites

Não me recordo de ninguém antes do João Gilberto na música popular brasileira que trabalhasse tão bem as inversões de acordes.

Não foi só na batida que ele fez escola....

Mas talvez isso se deva ao fato de que o Jobim já escrevia a música com todas essas inversões.

João Gilberto precisa ser analisado como um todo, pois ele é um marco na música popular ao lançar uma nova estética.

Essa nova estética exerceu grande força gravitacional entre músicos, cantores e compositores.

Isso é mais que ser um grande/novo intérprete, ele trabalhou para uma mudança de paradigma.

A mpb começou a trilhar caminhos que não seriam possíveis sem João Gilberto.

Acredito ser um erro analisá-lo sem uma perspectiva histórica.

Concordo. Quer eu goste ou não, a estética de interpretação trazida por ele foi revolucionária.

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre a Harmonia do próprio Jobim(que ocupou a maior parte das gravações de João), concordo plenamente com o Renato que já estavam prontas, mas a maneira de apresenta-las ao violão do João foi única, inovadora, e ele sobe aproveitar bem isso, na verdade tds eles se tornaram músicos para a elite, da globo, tocando no municipal etc.

Dilson, volte o texto atrás onde falo sobre o prof de harmonia baiano formado pela UFBA, Aderbal Duarte, o cara é um gênio, e é amississimo do João, a ponto de João dizer em certa entrevista rara que quem melhor entende o que ele faz com o violão é o Aderbal; bom, Aderbal é formalmente mas estudado que João em música, e consegue traduzir sua estética, e as brincadeiras que João trouxe para a então nova Bossa saindo de um pequeno Bar, com Nara, Boscoli, Menescal, Tom, Vinicius, para o mundo...

Pensemos um pouco diferente, violão sempre foi mau visto pela classe alta até pelo menos a década de 50, gosto muito de filmes, tenho pelo menos uns 600 DVDs, e dentre eles em versões colecionador: "A Noviça Rebelde" pelo que eu lembre em filme, primeira mulher a aparecer com violão no cinema...

Entendendo melhor a dimensão João Gilberto em termos de importancia; no Brasil, começa sair do gueto com Villa Lobos que era um músico clássico; depois Dilermando deu aulas para Juscelino e sua filha; bom, Garoto acompanhando Carmen encantou o mundo, os músicos informados iam para vê-lo; mas se colocarmos em perspectiva a quantidade de gente a querer imita-lo, e pelo próprio documentário acima, a maneira de João conduzir no violão era e é diferente. A maneira ininterrupta de cantar Aquarela do Brasil e outros monumentos, a forma como ele conduz a respiração, isso para me como apreciador a anos é diferente de qualquer outro antes dele.

Para não ficar em minhas palavras. Gente, basta parar e entender que todos queriam tocar violão por causa dele, queriam imitar sua batida, "um cantinho, um violão, esse amor, uma canção" e novamente a parte e o crédito da composição e harmonia Jobim rs.

http://lazer.hsw.uol.com.br/joao-gilberto2.htm

"Turíbio Santos, um dos mais importantes violonistas brasileiros, descreve que uma das experiências mais curiosas que teve foi tentar acompanhar João Gilberto: “Não foi com ele ao vivo. Na realidade foi acompanhar uma gravação do cantor. Do tipo passo a passo. Vamos imaginar você seguindo as pegadas de alguém na areia e colocando seus passos exatamente em cima dos passos da pessoa seguida. Assim, descobri primeiro a harmonia do João. Precisa, impecável, com soluções indiscutíveis. Trabalho de ourives. Depois desvendei (ou tentei) o ritmo. Os problemas foram se complicando. A invenção do João é imbatível e o pior: sua execução é de uma perfeição que beira as raias do impossível. Maior surpresa ainda: ele extrai mensagens polifônicas (várias vozes) do seu violão, como se cada corda fosse tocada por um instrumentista diferente”"

Nas palavras do próprio Aderbal Duarte: CE

O maestro e pesquisador da obra de João Gilberto, Aderbal Duarte, completa: “João sintetizou no seu violão várias sonoridades brasileiras, dos graves do violão de sete cordas aos agudos do cavaquinho”. E para complicar a coisa um pouco mais, ele afirma que "não existe uma batida de João, mas várias batidas. É possível isolar quatro ou cinco mais importantes, reincidentes. Mas muitas vezes ele usa pedaços delas. Então, o que há são células rítmicas".

Mas, além do violão, a voz de João Gilberto causou um enorme alvoroço, quando o LP “Chega de Saudade” foi lançado. Ao cantar baixinho, de forma sussurrada, intimista, criou um novo estilo vocal. Sem excessos, minimalista, sua performance contrastava totalmente com o vozeirão típico do canto lírico, considerado obrigatório para alguém que quisesse fazer sucesso naquela época. E ainda por cima ele parecia estranhamente desafinado. O músico e professor Lucas Robatto afirma, com base na pesquisa do maestro Aderbal Duarte, que a estética vocal de João Gilberto “baseia-se primordialmente na adaptação da música às capacidades vocais naturais do intérprete. João nunca força sua voz (nem no que se refere ao registro – grave ou agudo, nem ao volume). Ele aproxima o máximo possível o canto da voz falada – diferentemente da voz ‘empostada’ do canto lírico. João modifica as tonalidades originais das músicas que interpreta para permitir a adaptação ao seu registro vocal”.

Eric Clapton

http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,eric-clapton-sonha-em-tocar-com-joao-gilberto,784139

Caetano Veloso

http://gafieiras.com.br/entrevistas/caetano-veloso/17/

Acho que explica um pouco...

Share this post


Link to post
Share on other sites

Sobre harmonia, acho sempre válido estudar harmonia tradicional. Isso porque a harmonia tradicional é geral, não se restringe a um instrumento. Infelizmente nunca vi os livros de harmonia do Marco Pereira, mas os do Chediak não me convencem. Eu sei que eu sou chato, mas eu fico de cabelo em pé (o pouco que me resta) quando eu vejo as explicações dele sobre dominantes secundários e entre outras coisas. É muito raso.

Beleza Renato; os do Marco eu comprei e são de inicio, intelectualmente intragável, pois o cara é culto ao extremo, mas depois de um tempo, juntando as informações com outras leituras, vai se tornando grandiosamente cosmetível, pois o cara é genial.

Sobre o Chediak, observe que coloquei entre parenteses, o pessoal da MPB é que gostou bastante dele, digo pelos relatos ensimesmados de Caetano, Gil, e outras figuras, mas como volumes 1 e 2, prefiro o Norton Dudeque.

Você leu Arnold Schoenberg?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...